Biografia Coruja BC1

Gustavo Vinicius Gomes de Sousa, na cena do Rap nacional conhecido como Coruja BC1, nasceu na periferia de Osasco, vastamente ocupada por migrantes nordestinos. Passou então a ter contato com o estilo musical predominante na região, o repente. 
 
Seu avô, notando o talento musical do menino, o presenteou com um pandeiro. Foi o incentivo necessário para que com apenas 4 anos de idade, a arte do repente passasse a fazer parte de seu dia a dia, através da prática diária de cantar a vida; estimulando a afinidade precoce com o improviso. 

 

Anos depois, a família de Coruja segue para firmar a vida no interior de São Paulo. Foi na periferia de Bauru, que recebeu seu apelido e começou a ter contato com as batidas do hip hop. Já apaixonado pela cultura passou a integrar a crew de break dance “BreakMonsters Crew”. 

 

Anos se passaram, e o hábito de escrever ficou mais intenso em 2008, quando o pai de Coruja faleceu. Descarregar os sentimentos em letras de músicas aliviava a dor. Aos 16 anos, Coruja decide o objetivo artístico a seguir.
O rap começou a virar algo mais sério e deixou de ser só diversão. Rimador nato, desejou ser muito mais do que um MC, fazer mais que letras e beats. O conhecimento e o amor pela vida levaram-no a escrever as próprias letras e essa evolução criou o Coruja BC1, o nome da rua em busca de conhecimento em primeiro lugar.

 

Buscando inspiração, nos fones ecléticos de Coruja rola desde Wilson Simonal até as batidas de Kamau, Nas, Jay Z, Quinto Andar, Racionais MC, Shawlin, Marechal, Gog, Criolo, Run DMC, Potencial 3, Kool G Rap, De Menos Crime, RZO, 509-E e Sabotage .
Do avô, um apaixonado por samba, herdou a idolatria por nomes como Cartola e Adoniran Barbosa, e elegeu Bezerra da Silva e outros grandes mestres da rima.

 

Um mix dessas influências resultou um MC original; resultado de uma vida, de experiências e trocas de cultura, estudo e aprendizado.

 

“Coruja BC1” é a construção constante e frenética de uma realidade em forma de rimas, da rotina nas quebradas, da noite, do dia, da vida. Trazendo positividade, sugerindo a busca por soluções e não lamentações, de mudança de fato e evolução; para repensar a atitude, com respeito, responsabilidade, caminhando pelo certo.

 

Fusão do rap com o repente e o jazz, o projeto “Coruja BC1” se projeta como uma mensagem passada de forma forte e coerente, com sagacidade na levada e profundidade nas idéias.

ALGUNS DE SEUS SONS E PARTICIPAÇÕES

DISCO NDDN CORUJA BC1

 
Com 23 anos e duas mixtapes lançadas, Coruja BC1 confirmou o que todos esperavam: O ano é liricio. O rapper paulistano acaba de liberar seu álbum de estréia chamado “NDDN”, abreviação de “No Dia Dos Nossos”.

 

O disco conta com a produção de Skeeter e onze faixas no projeto que conta com diversas participações de peso onde retratam a vida do morador de periferia, falam sobre racismo, espiritualidade e a forma como somos aprisionados pela nossa própria mente.
“SE ELE FOR O ÁLBUM DO ANO, SEI QUE ANO QUE VEM ELE VAI SER O ÁLBUM DO ANO PASSADO. QUERO MAIS QUE ISSO, QUERO QUE SEJA O ÁLBUM DA VIDA DAS PESSOAS QUE OUVIREM, UMA PARADA SÓLIDA NA PÁGINA DA HISTÓRIA DA MÚSICA RAP”
O projeto foi liberado pelo selo Laboratório Fantasma do rapper Emicida, com quem Coruja BC1 assinou esse ano e foi liberado em diversas plataformas de stream.
Isso é tudo galera, espero que tenham gostado!
Acompanhe-nos nas nossas redes sociais:
 
 
 
Site Skate no Comando: http://skatenocomando.com
 
 
É nóis galera, aproveitem!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *