Biografia ADL

Além da Loucura é um grupo de Rap Nacional, é uma autêntica apresentação do ritmo e poesia da serra do Rio de Janeiro. 
 
Em um show costurado com manifesto e musicalidade, o repertório canta os sonhos e as realidades de “Terê” e das comunidades do Rio de Janeiro. 
Reconhecidos entre a nova geração carioca por expressar nas suas letras o bom rap de mensagem com originalidade no flow e métrica, ADL é o conjunto de música e protesto que ganham mais roupagens no formato com DJ, banda e os dançarinos de passinho, mas sobretudo, o entrosamento dos Mc’s Lord e DK no palco e nas ruas.
 
Depois do impacto de “Favela Vive“, o ADL voltou sem perdão com o lançamento do single “Terror Nenhum” no último dia 17. Num trap bem sujo, produção do SoffiattiLord e Dk contaram a história de como tudo começou a ser além da loucura lá em Teresópolis, região serrana do Rio de Janeiro.
Logo da primeira vez que ouvi o som percebi que a parte do Dk, a primeira, não só vem com a mensagem de praxe do ADL, mas narra uma série de acontecimentos. “Essa letra foi o Dk que começou, realmente tudo que tá ali foram passagens específicas da nossa vida, são retratos do que a gente viveu, e o retrato de outras pessoas é parecido.
 Essa foi a primeira brisa dele, de ter lembrado do nosso primeiro show, a situação que a gente passou naquele dia, de ter realmente apanhado o X9. E eu já falei que era isso, que íamos contar essa história”, nas palavras do Lord.
 
Não só a história de como tudo começou, mas de como tudo mudou por causa do rap, deixando transparecer uma nova opção para aquele que se identifica cumprir seu propósito. O Dk me explicou: “a música lançada já é a vitória, porque agora a gente não é mais traficante e é músico. 
A proposta da música é essa, mostrar a reviravolta que deu na nossa vida e que quem fez isso foi o rap. O rap ta vivo, o rap de mensagem, dando sempre uma proposta pro favelado, dando uma outra opção, a opção da arte”.
Essa importância de valorizar, e entender a dimensão do poder do rap de mensagem, não tem tamanho em um contexto que vem soltando muito confete pra uma pá de futilidades. O Lord tá ligado, e não dispensa a oportunidade: “O pobre pede, trabalha, tem predisposição a se fuder na vida, a se endividar, a partir pro crime.
 Então porra se a gente tem a opção de bater na porta, de incomodar, de ganhar dinheiro com arte, onde a gente pode falar o que a maioria das pessoas a nossa volta passam, então é isso, é o rap, o hip hop, a dança, a arte, onde a gente pode ser visto”.

PROJETO FAVELA VIVE

Nunca tivemos um ano com tantos cyphers no rap brasileiro como em 2016. O de maior sucesso foi “Favela Vive” com Froid, Sant, Raillow, DK & Lord do grupo (Além da Loucura), sob instrumental de Índio.
Idealizado pelo selo Esfinge Produções, o projeto filmado na favela da Rocinha ganhou parte 2 com BK’, Funkero e MV Bill se juntando aos MCs do ADL. E se na parte #1 o clima foi pesado, na continuação de 7 minutos ficou ainda mais denso. Dessa vez as punchilnes foram direcionadas para algumas atitudes que geram a revolta dos moradores de periferia.
Sem risadinha, os 5 MCs mandaram um papo reto sobre as mazelas das favelas cariocas. Entre elas a violência policial junto com a intolerância das UPPs, o tráfico de drogas e também ausência paterna na vida do jovem.
Assim como o #1, novamente o cypher dirigado por GB e com produção Indio; confira abaixo essa pedrada!
 

ALGUNS SONS DO GRUPO ADL E PARTICIPAÇÕES

 
Isso é tudo galera, espero que tenham gostado!
Acompanhe-nos nas nossas redes sociais:
 
 
 
Site Skate no Comando: http://skatenocomando.com
 
 
É nóis galera, aproveitem!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *